top of page

OfiCena 3X4

oficina de criação compartilhada entre coletivos das artes da cena

março a junho de 2023 / online

O Cena 3x4 é uma rede de formação, criação e compartilhamento que aconteceu entre 2003 e 2006, através de uma parceria entre a Maldita Cia. de Investigação Teatral e o Galpão Cine Horto.

 

A cada edição, quatro grupos teatrais integraram de uma série de diálogos e encontros entre criadores e pensadores, enquanto compartilharam seus processos de criação para uma dramaturgia própria, a partir dos princípios do processo de criação colaborativa.

Em suas 4 edições Cena 3x4 contribuiu para o fortalecimento das linguagens do teatro de grupo na cidade, fomentando coletivos como a Cia. Luna Lunera, Labapi, Teatro Invertido, Grupo Trama, Teatro Andante, Armatrux, a própria Maldita Cia, entre outros. 

2023

  • instagram @maditacia
  • facebook malditacia
mascaraAtivo 47.png

CENA 3X4

2003 a 2006

Convocatória 3x4

Convocatória

OfiCena 3X4 / 2023

Oficina de criação compartilhada para coletivos de MG

 

O teatro é um laboratório de tecnologias de criação em coletivo, modos de fazer que se transformam no tempo e no espaço da história, e no contexto singular de cada agrupamento. No contexto deste chamamento, interessam as artes da cena como lugar de pluralidade de pontos de vista, e o exercício de construir trabalhos que se façam no cadeirão dessa pluralidade. Chamamos agrupamentos de artistas e estudantes interessades em pesquisar e apurar linguagens de autoria própria, reconhecer e desenvolver identidades e pesquisas de autoria coletiva.

OfiCena 3x4 é uma oficina de criação que propõe o desenvolvimento de 04 projetos de criação de agrupamentos de Minas Gerais. São 8 encontros ao longo de 3 meses, quando os participantes serão provocados a construir um esboço cênico com dramaturgia própria e coletiva.

(Não é necessário que os coletivos já tenham trabalhado juntes antes da inscrição. Podem se inscrever  artistas que se agrupam apenas para participar da oficina 3x4.)

Esse chamado está aberto a coletivos em qualquer linguagem das artes da cena - compreendendo teatro, dança, circo, performances e as mais diversas linguagens híbridas.

 

Ao longo do processo, estudamos as funções de direção, dramaturgia e atuação, com provocações dos artistas Marina Viana, Lenine Martins e Amaury Borges, artistas que partem de suas experiências em criações coletivas, compartilhadas e colaborativas, para atuar como provocadoras dos processos, propor questões, procedimentos e críticas na tessitura da cena co-autoral. Cada grupo contará também com o olhar e compartilhamento dos demais coletivos participantes, em uma experiência de troca de saberes entre todes.

 

Todo o processo ocorre de forma online, e culmina com uma mostra pública dos trabalhos em processo, exercitados ao longo da oficina.

 

A oficina 3X4 é um braço do projeto Cena 3x4, desenvolvido pela Maldita Cia e o Galpão Cine Horto entre 2003 e 2006. Para conhecer mais dessa história, todes estão convidades a participar da roda de conversa  "Criar em coletivo", com participação de artistas de alguns grupos teatrais de BH. O encontro será transmitido ao vivo no canal do youtube e instagram da Maldita Cia de Investigação Teatral, e ocorrerá também presencialmente no Galpão Cine Horto, em Belo Horizonte, em data a ser divulgada em breve nas redes @malditacia.

Como se inscrever?

Interessades em participar da OfiCena 3x4 deverão enviar uma carta de interesse por escrito ou em vídeo (de duração máxima de 7 minutos) apresentando as motivações para participacao na ofiCena, e, se houver, indicações do programa de criação que se quer desenvolver nessa experiência (os princípios, pontos de partida, as questões e interesses que movem o coletivo para a criação).

A carta de interesse, bem como outras informações, serão enviadas através do formulário online, entre 27 de fevereiro e 13 de março de 2023. O link para o formulário se encontra no site www.malditacia.com/cena3x4 , e nas redes sociais @malditacia .

  

Condições para participação

Estão convidades a participar artistas organizades em Coletivos de Criação de, no mínimo, 03 integrantes, residentes em Minas Gerais.

 

Os Coletivos:

  • Devem indicar pelo menos um integrante que responda por cada uma das seguintes funções: direção, dramaturgia, atuação e produção (o que não impede a existência de outras funções de criação).

  • Se comprometer em participar integralmente dos encontros de compartilhamento e formação previstos na agenda do projeto;

  • Devem dispor de espaço com sinal estável de internet, e equipamento que possibilite sua participação nas atividades com qualidade de imagem e som. Essas condições deverão ser viabilizadas pelo próprio coletivo. Os encontros ocorrerão online através da plataforma Zoom.

  • Preferencialmente, os coletivos devem participar dos encontros juntes, em um mesmo espaço físico. 

  • Concordar com veiculação da mostra de processos no youtube e redes sociais da Maldita Cia., bem como divulgação de imagens do processo durante o projeto e após seu término.

 

Agenda dos encontros

 

Momento 1: Ponto de partida

Estudo sobre princípios e histórias dos processos de criação colaborativa, compartilhada e coletiva, e levantamento de um material prático/cênico de 5 minutos.

 

Datas:

Sábado, 25/03 - 10h às 13h e 15h às 18h

Sábado, 15/04 - 10h às 13h e 15h às 18h 

Sábado, 29/04- 10h às 13h

 

Momento 2: Da dramaturgia

Nos debruçamos sobre a função da dramaturgia em processos de autoria coletiva, buscando um roteiro dramatúrgico processual, intensificando a busca da linguagem própria.

 

Datas:

Sábado, 06/05 - 10h às 13h e 15h às 18h

Sábado,13/05 - 10h às 13h e 15h às 18h

Sábado, 27/05 - 10h às 13h

 

Momento 3: Mostra de processos

Compartilhamento público dos processos, em transmissão ao vivo.

Sábado, 10/06, horário a combinar

Domingo, 11/06, horário a combinar

 

Princípios para escolha dos participantes

 

Os Coletivos participantes serão escolhidos pela equipe do projeto, que levará em conta os seguintes princípios:

a) Relação do agrupamento com o território onde se insere o grupo;

b) Disponibilidade para desenvolvimento de processo de criação compartilhada, em que todes os integrantes, a partir de suas funções artísticas específicas, tenham igual espaço propositivo, sem qualquer espécie de hierarquias, produzindo uma obra cuja autoria seja compartilhada por todes;

c) Diversidade de formação e experiências artísticas em um mesmo grupo;

d) Diversidade de territórios dos agrupamentos, e potencialidade de diálogos entre eles.

e) Haverá prioridade para coletivos que residam em cidades do interior e MG e Região Metropolitana de Belo Horizonte

 

Dentre os coletivos que preencherem as condições previstas acima, serão priorizados aqueles que tenham pelo menos 50% de suas equipes formadas por mulheres, pessoas negras, indígenas, ciganas ou LGBTQIA+, com base nas informações autodeclaradas no formulário de inscrição, e equipes que tenham realizado pelo menos um trabalho juntes anteriormente.

 

Durante o processo de escolha, os inscritos poderão ser contatados para eventuais conversas e consultas adicionais.

 

A relação de selecionados será divulgada no site do projeto e mídias sociais da Maldita Cia até o dia 20 de março de 2023.

 

Outras informações podem ser solicitadas através do e-mail malditaciateatro@gmail.com 

 

Equipe da oficina

Maldita Cia de Investigação Teatral

A Maldita Companhia de Investigação Teatral pesquisa, desde 2003, caminhos e instrumentos com os quais a equipe criadora possa estabelecer um diálogo que resgate a socialização da escrita cênica, e foi através desse processo que o grupo criou seus espetáculos – Cara Preta, Casa das Misericórdias e Maxilar Viril, e a cena curta Transe. 

Os trabalhos do grupo investigam a dramaturgia do espaço, mascaramentos através de objetos e a criação de dramaturgias autorais e colaborativas. Pesquisamos uma linguagem que transita entre os gêneros épico e o dramático, construindo narrativas a partir dos pontos de intersecção e conflito entre as duas tendências.​

No âmbito temático, investigamos temas relacionados à tragédia contemporânea,  à marginalidade social, e à memória na América Latina.​

Nossas ações perpassam a criação teatral, atividades de formação e a promoção de encontros entre artistas e pensadores que possam fomentar a efervescência criativa e reflexiva no teatro.

 

Amaury Borges - co-orientador da oficina

Ator, diretor teatral e dramaturgo, natural de Cuiabá/Mato Grosso. É integrante e co-fundador da Maldita Cia de Investigação Teatral, e atuante como artista educador na Escola Livre de Artes Arena da Cultura em Belo Horizonte. Investiga especialmente as dramaturgias do espaço para a construção do teatro como arte do encontro. Integrou a Cia Catibrum de Teatro de Bonecos, trabalhou como ator e diretor nos grupo Teatro Kabana, grupo Teatro Invertido.

 

Marina Viana - co-orientadora da oficina

Multiartista, dramaturga, atriz e diretora teatral, é graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 2005. É integrante dos grupos Mayombe Grupo de Teatro, Teatro 171 e Cia Primeira Campainha, além de colaborar com outros coletivos. Publicou zines, promoveu prêmios e realizou eventos e cabarets, além de ter uma banda e plagicombinar canções de outras pessoas para compor seus textos e espetáculos. Caracteriza-se por ser uma multiartista que escreve performando a palavra, o som, o corpo e a ação, em um jogo que cria situações de carnavalização, performance e manifesto, em que elementos visuais e sonoros já existentes se recombinam e reorganizam, gerando obras que têm na mixagem e na citação uma característica marcada.

Lenine Martins  - co-orientador da oficina

Ator, diretor, dramaturgo e educador dedicado a pesquisas cênicas em mascaramentos e materialidades, narrativas épico-dramáticas e em dramaturgias de ocupação palco e rua. Dirigiu vários espetáculos como Às Moscas, Nossa Pequena Mahogany, Balcão, Caso Woyezec, Cósmicas, Jogo do bicho, A mim amnésia, Estamos trabalhando por você.

 

Elba Rocha - projeto, gestão e programação visual

Integra a Maldita Cia de Investigação Teatral desde 2012, nas funções de atuação e coordenação de produção. Graduada em Teatro pela UFMG, atua como professora-artista em formações técnicas e iniciantes. Investiga dramaturgias de atuação a partir de fluxos de intensidades gerados pelo movimento e pela canção, em diálogo com procedimentos da arte da performance.

 

Ricelli Piva - Produção executiva

Graduado em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), é gestor e produtor cultural com experiência nas esferas pública, privada e terceiro setor. É ator,  parecerista de projetos culturais e realizou produções em festivais internacionais de teatro e cinema, e no núcleo de conteúdo para TV universitária. No momento presente atua como Assessor da Diretoria de Desenvolvimento e Articulação Institucional da Secretaria Municipal de Cultura de Belo Horizonte.

Bramma Bremmer - Redes sociais

É artista de BH, trabalhando nas áreas da performance, atuação, escrita, direção, crítica, produção, comunicação e palhaçaria. Transitando entre o teatro e o cinema, integra as coletivas Casa Anômala e Plataforma Beijo. Atua nos espetáculos “Projeto Maravilhas” e “Eclipse Solar”, e dirige a peça “Protótipo Para Cavalo: Corra, Aisha, Corra!”. Foi vencedora do Prêmio Arte como Respiro - Literatura 2020 do Instituto Itaú Cultural e artista residente da Lab Cultural 2022 do BDMG Cultural. Em 2023, lançou “desejo de me expor, desejo desaparecer”, o seu primeiro livro de poemas.

para o siteAtivo 38.png
bottom of page